domingo, 24 de fevereiro de 2013

Jean-Jacques Rassial, um psicanalista simpatizante da homossexualidade como "anormalidade subversiva"... Nem eles se entendem!

"(...) O que eu disse é que tenho muita simpatia pelos homossexuais militantes contra a normalidade e que sinto muito desprezo pelos homossexuais que querem ser considerados normais. Conheci muito Guy Hocqenghem, fundador do que se chamava na França de Fond Homossexuel d’Action Révolutionaire e ele fazia uma espécie de provocação generalizada, um elogio do ânus, da homossexualidade masculina, dizendo que sodomizar ou ser sodomizado é um ato revolucionário, ou seja, 'nós afirmamos nossa anormalidade subversiva'. Agora vivemos o sucesso de um movimento que se chamou na Europa de Arcadie, que é o movimento dos homossexuais que querem ser considerados normais, que querem, de certa forma, transformar a homossexualidade numa nova norma. Freud e Lacan são claros sobre a homossexualidade, dizendo que é uma perversão,  o que não quer dizer que não temos o direito de ser perversos – cada um tem suas fantasias e as vive como quer e isso é do registro da perversão sexual e não social. Ambos mantiveram esta posição até o fim. A posição homossexual que acho simpática é a subversiva.
Nós faríamos Guy Hocqenghem chorar ou rir se lhe disséssemos que a reivindicação homossexual atual é o casamento e a adoção! O que significam esses grandes defensores da família e da filiação em que se tornaram os homossexuais? Isto está ligado à pós-modernidade no sentido de que a diferença sexual não é mais uma diferença essencial, não é mais o que nos organiza. E digo mais, a homossexualidade é uma posição preguiçosa e passiva! É muito fácil encontrar o outro do mesmo sexo, é muito mais fácil do que encontrar o outro do outro sexo. Com o outro do outro sexo é o fracasso de nossa identidade que encontramos, não funciona com o outro sexo. Trata-se da guerra, uma guerra interessante, aliás. Com o mesmo sexo estamos no narcisismo triunfante."

Jean-Jacques Rassial é psicanalista, membro do Espace Analytique, e desde o início de sua prática clínica trabalha com adolescentes. Fundou o Bachelierum instituto de psicanálise do adolescente, e é autor de diversos artigos e livros sobre esse tema. Entre eles destacamos A Passagem Adolescente e O Sujeito em Estado Limite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário